Pesquisa VIGITEL sobre Obesidade e Excesso de Peso

Entre fevereiro e dezembro de 2016 foram entrevistados por telefone 53.210 pessoas com mais de 18 anos nas capitais do país para a realização da pesquisa "Mudança de hábito impacta nas doenças cardiovasculares: Brasil está na transição da desnutrição para a obesidade".

Utilizou-se na pesquisa o Índice de Massa Corporal, IMC, que além de classificar o indivíduo com relação ao peso, também é um indicador de risco para a saúde e tem relação com várias complicações metabólicas.

IMC = Peso (Kg) / Altura (m)2
Considera-se excesso de peso = IMC igual ou maior que 25 kg/m2
Considera-se obesidade = IMC igual ou maior que 30 kg/m2

Os dados coletados nas entrevistas trazem mais um alerta sobre os efeitos das mudanças de hábitos dos brasileiros. O excesso de peso cresceu 26,3% em dez anos passando de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016, principalmente entre os homens.

Fonte: Vigitel - Vigilância de fatores de risco e proteção para Doenças Crônicas por inquérito telefônico - Sistema de Vigilância de Fatores de Risco para doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) do Ministério da Saúde.