Fisioterapia na Cirurgia bariátrica

A atuação da fisioterapia na cirurgia bariátrica vem crescendo de forma satisfatória, uma parte importante diz respeito à comunicação, orientação e educação em saúde. As técnicas disponíveis são múltiplas e variadas. O tratamento nunca deve ser totalmente rotineiro, deve-se realizar uma avaliação e identificação de problemas particulares de cada paciente. A comunicação com membros da equipe multidisciplinar é um elemento essencial em uma assistência de boa qualidade.

Desta forma, uma vez classificados os pacientes de forma apropriada, é realizada uma avaliação postural e respiratória. A fisioterapia pré-operatória deve ser executada de forma breve e concisa, visto que, a quantidade de informações verbais dada ao paciente são muitas nesta fase.

A explanação pré-operatória deve destacar os efeitos da cirurgia sobre a função pulmonar, reforçando a importância de se movimentar precocemente, posição adequada enquanto restrito ao leito, ensinar ao paciente realizar uma boa limpeza nas vias aéreas tossir e expelir o catarro, a saída do leito e caminhar.

Objetivos

  • Melhorar função pulmonar;
  • Promover higiene brônquica;
  • Prevenir embolia pulmonar e infecção das vias aéreas;
  • Restaurar amplitude de movimento articular e força muscular;
  • Independência nas Atividades de Vida Diárias;
  • Diminuir ansiedade;
  • Uso de aparelhos para melhorar a respiração e a locomoção do paciente durante a internação, se necessário.

A fisioterapia tem sua atuação ainda na fase pré operatória, é importante o paciente conhecer por que um fisioterapeuta no âmbito hospitalar e o que pode auxiliar na sua recuperação. Esta fase se caracteriza com uma fase de informação e conhecimento de ambas as partes. Cabe ao fisioterapeuta analisar questões como: análise da função pulmonar, músculo-esquelética (dores e desgaste articulares, doenças reumáticas, doenças ou cirúrgias prévias, análise da locomoção, higiene e função deste indivíduo perante seus cuidados pessoais) e Cardio-respiratória (para indicar um profissional adequado na atividade física).

Na internação hospitalar o fisioterapeuta auxilia o paciente na sala de recuperação iniciando um protocolo de atendimento respiratório e motor que normalmente cada equipe tem o seu de rotina e na internação continua um atendimento visando fazer o paciente movimentar-se o mais precoce possível, para que retorne a sua casa mais independente, evitando precisar de auxilio de outras pessoas por pouco tempo.

Na fase pós operatória (REABILITAÇÂO) depende de cada indivíduo, mas de fato o paciente só vai necessitar da fisioterapia caso tenha necessidade de reabilitação pulmonar ou músculo-esquelética. Após liberado pela equipe cirúrgica e clínica para a atividade física deve ser encaminhado a um profissional adequado e habilitado a trabalhar com paciente pós operado, evitando possíveis transtornos em relação a complicações futuras causadas pelo excesso ou falta de atividade física indicada nestes casos.

CAROLINA BOEIRA VARGAS
Fisioterapeuta Especialista em Obesidade e Emagrecimento
CREFITO 62-169